Você precisa do quê?

Todas as manhãs, assim vocês eu concluo não ter roupas. Eu não tenho roupas, meu dia será um fracasso total e tudo o que eu precisava era do blazer verde esmeralda que encontrei e não comprei há uns anos atrás. Talvez aquele blazer nem fosse mais servir no meu corpo pós filho, mas a intenção era usa-lo várias e várias vezes com milhões de combinações imaginárias que me salvariam diariamente. Sim, eu ia escrever para os dias em que não sei o que vestir, mas lembrei que isso fazia parte da minha rotina e resolvi ser honesta comigo e com vocês.

roupas novas

Eu acho que consultoria de estilo não é artigo de luxo, acho que é uma necessidade. Se todas as mulheres fizessem aprenderiam a comprar menos, combinar mais, aprenderiam a usar o que tem, a maximizar as opções do armário de modo a ter opções para as mais diversas ocasiões da vida.

Consultoria de Estilo não é luxo é necessidade

 Eu preciso de uma Consultoria urgentemente. E preciso de uma terapeuta, mas honestamente, acho que a consultora resolveria ou me ajudaria a resolver – é como uma terapia, você precisa aprender a lidar com o que tem e tirar o melhor proveito possível da situação.

Acho que quero começar logo, porque comprar acaba virando um vício, acaba virando uma necessidade cruel.

comunica todo o tempoEssa obrigação de fazer tudo se comunicar que é a base da dinâmica da sociedade moderna incentivam as pessoas a consumirem produtos devido a função dos símbolos representados e que formam a identidade das pessoas e dos grupos sociais.  É aí que a função social do indivíduo é expressa, o que ele faz, onde trabalha, onde mora, qual carro dirige, a água que bebe. As pessoas desempenham diversos papéis durante a vida delas, e consumir é um deles.

moda consumoAcho que todo essa estimulação excessiva por parte das marcas está ligada à tendência psicológica própria do ser humano de imitar, transferindo a atividade criativa e mais importante, sua responsabilidade sobre a ação para o outro.

 você é o que você compraNo fundo as pessoas compram buscando um momento de prazer e de realização, querem se sentir bem. O problema está na forma de legitimação disso tudo: apenas a aprovação do outro torna tudo isso possível.

marcas moldam vocêEngraçado, né?

Engraçado como todos esses símbolos impulsionam a gente, como a nossa identidade está ligada às marcas, como a forma como nos projetamos para o exterior é apenas uma das leituras de uma de nossas formas interiores. Tem que haver uma revisão ontologica, uma releitura de como a gente vê o mundo, das definições que utilizamos para basear que somos. Sem essa revisão ontologica continuaremos sendo mais do mesmo. Sendo parte da massa que  vaga pela vida, sem deixar marcas, mesmo que micro marquinhas.

amigas comprando identidadePara entendermos o porquê de estarmos aqui precisamos repensar as definições que nos formaram e esquecê-las, começar do zero.

Assim como para rever as nossas definições de consumo é necessário rever nossas raízes, identifica-las e ignora-las para então recomeçar de um novo jeito. Assim a gente começa a comprar de uma maneira diferente e a viver de uma maneira diferente.

vida simplesVocê já pensou que com o dinheiro da bolsa que você comprou, e com certeza ama, você poderia ter feito um mochilão de um mês?

consumo vida

O consumo não precisa ser algo negativo e não precisa ser um problema. A moda é uma forma extremamente eficiente de expressar os seus diversos eus e pode continuar sendo assim, mas não precisa de incentivos doentios de um marketing que cria novas realidades e inserem em nossas vidas como se essas realidades sempre tivessem existido. Black Friday… oi???

 

Esse post poderia ter ficado muito muito maior, deletei o máximo de frases relacionadas diretamente a influência do consumo simbólico na vida das pessoas para não ficar chato demais para quem não conhece. Quem gosta, no entanto, pode falar comigo! Adoraria discutir o assunto.

0

Leave A Comment

Your email address will not be published.